terça-feira, 16 de agosto de 2016

[Opinião Livros] Flashback - Memórias Esquecidas, de Orquídea Polónia


Flashback - Memórias Esquecidas, de Orquídea Polónia


Editora: Chiado Editora
Nº de páginas: 146
Edição/Reimpressão: 2016

Sinopse: “O ar estava carregado, os meus sentidos alertavam-me que algo de negativo se passava lá. As paredes altas de cimento davam-me a sensação de estar presa. O chão de madeira a chiar debaixo de mim provocava-me arrepios.”
Após um misterioso acidente, Anabela acorda sem qualquer memória daquilo que teria sido a sua vida. Assim, vê-se envolvida num mar de incerteza e solidão, sem qualquer vestígio da pessoa que fora um dia. As suas novas amizades permitem-lhe ir descortinando o seu passado, encontrando toda uma vida prévia ao acidente: uma família, uma casa luxuosa e um marido. No entanto, aquilo que ela descobre também a coloca em perigo e as suas memórias tornam-se alarmes sonantes de um passado imperfeito. Deverá Anabela confiar na vida que tivera um dia e nas pessoas que lhe eram próximas? Ou deverá construir um novo caminho segundo o que lhe dita o coração?

Opinião: Provavelmente uma das coisas mais ingratas que pode acontecer a um blogger é ter de opinar sobre os livros que amigos seus escrevem, já que custa sempre criticar algo que sabemos pessoalmente que foi feito com tanto carinho (e eu como autora sei bem o amor que um autor tem por aquilo que escreve). 
Este é um livro que se lê bastante depressa, primeiro porque é pequeno e segundo porque a escrita não é propriamente maçadora. Na realidade não tenho críticas a apontar à escrita da autora, que é cuidada e flui bastante bem. Já me passaram pelas mãos livros bem piores a nível de escrita vindos desta editora. Nota-se também que houve especial cuidado para não deixar passar gralhas (o que mais uma vez é uma coisa bem espantosa de se ver em livros da Chiado), portanto no âmbito da escrita não tenho nada de especial a apontar.
O grande problema prende-se com a trama em si. Aliás, penso que o grande problema é mesmo o tamanho do livro: não é fácil apanhar-se um livro com menos de 150 páginas que esteja bem desenvolvido e este simplesmente não está. As personagens são-nos apresentadas depressa demais e as suas storylines enfiadas garganta abaixo sem grandes delicadezas. Não dá para nos apaixonarmos pelas personagens, para termos pena delas ou torcermos por elas. Elas são simplesmente peões com os quais não me importei minimamente. Faltou desenvolvimento, muito desenvolvimento, e mais cuidado na caracterização. Depois disso, existe uma trama demasiado cliché que tenta enfiar no mesmo saco assuntos a mais, assuntos esses que, novamente, ficaram perdidos num livro que era pequeno demais para eles. Desde a um caso de amnésia, que podia ser tão bem explorado e ter dado tanto pano para mangas, até a um caso de tráfico humano, que é complexo e não devia ter sido falado de forma tão leve, senti que muito ficou a faltar. A história foi demasiado corrida e superficial. Cheguei ao fim, fechei o livro e percebi que não senti emoção nenhuma ao lê-lo e não é isso que se pretende numa leitura.
Este é o primeiro livro da autora e primeiros livros são difíceis. Nota-se que ela tem lá o dom, sabe escrever, mas falta-lhe a imaginação para ir mais além, sem querer apenas debitar tudo. Óbvio que isso se consegue com trabalho e experiência, portanto acredito que ela esteja no caminho certo. Não tendo sido um livro tão bom, fico à espera de ver evolução nos próximos trabalhos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário